AUTOMOBILISMO VIRTUAL


1ª ETAPA - Paul Ricard

Ontem, na terceira etapa da GT 3 CUP, após conseguir uma boa oitava posição no grid de largada, um Lexus desgovernado fez um strike na primeira curva e, como sobrou pra mim, acabei caindo para a 17ª posição. Apesar da pista estreita de Zolder, na Bélgica, eu estava com a Lamborghini na mão... e depois de muita luta e ultrapassagens arrojadas, consegui terminar em 10º, mantendo assim a 7ª posição no campeonato.

2ª ETAPA - Hungaroring

3ª ETAPA - Zolder

Valeu pela emoção... apesar de ter sido uma corrida muito complicada e desgastante, me diverti bastante. Agora é partir pra próxima etapa do campeonato! Semana que vem, nos vemos em Ímola, na Itália. É dar uma passadinha no memorial Ayrton Senna e ir pra pista acelerar.

Assista abaixo o VT da corrida!



SOBRE O AUTOMOBILISMO VIRTUAL: Também conhecido por seus adeptos pela sigla A.V., o Automobilismo Virtual é um e-esporte que simula com perfeição uma corrida real de automobilismo. Vários pilotos profissionais como Max Verstappen, Fernando Alonso, Rubens Barrichello, Vitor Genz, etc... se misturam a pilotos virtuais em competições on-line de tirar o fôlego! Há diversas ligas, tanto no Brasil, quanto no exterior, que organizam os seus campeonatos em vários simuladores diferentes: Assetto Corsa Competizione, Forza Motorsport, Formula 1, Project Cars 2, Grand Turismo, I-Racing, Automobilista, entre outros.

Por incrível e inusitado que pareça, com a pandemia do Covid-19 o A.V. ganhou inesperada força. Como os campeonatos oficiais de Stock Car, Fórmula 1, Nascar, Endurence e até Motovelocidade tiveram os seus inícios adiados, os organizadores dessas - e de outras categorias - começaram a organizar campeonatos virtuais com todos... ou, boa parte dos seus pilotos. Ou seja: os mesmos que vemos, pela tevê, a bordo de suas possantes máquinas. Em muitas das vezes, um piloto virtual acaba cruzando com seu ídolo, em uma simples corrida on-line. Isso é o máximo! Algo inimaginável, até bem pouco tempo atrás.

E não pense que tudo não passa de uma mera partida de videogame.. enganou-se profundamente! Alguns pilotos treinam fortes... outros investem mais de R$ 20.000,00 em cockpit, volante e periféricos... as corridas e campeonatos são extremamente competitivas... é obrigado seguir as mesmas regras e condutas de um piloto real nas corridas virtuais... há até a formação de equipes! A seriedade é tamanha que os simuladores já servem até para formar pilotos profissionais, além de permitir que os pilotos já profissionais consigam treinar nas pistas, melhorando tangencia, entrada e saída de curva, ritmo de corrida, estratégia de pit, etc... Isso só é possível porque as pistas são escaneadas para o jogo com o máximo de perfeição possível: são curvas, placas de publicidade, sinalizações, pontos de freadas e de passagens de marcha e, até mesmo, tempo de volta, beirando a exatidão. Os jogos também conseguem simular, com perfeição, desgaste de pneus, consumo de combustível, condições climáticas e de aderência do asfalto. Como resultado, tornou o acesso ao esporte a motor muito mais em conta, pois se antes o futuro piloto precisava investir em Kart, ou pagar mais de R$ 100.000,00 para colocar um carro na pista, em uma categoria de acesso, hoje, com aproximados R$ 5.000,00 já é possível montar um cockpit, com volante e pedais, para tentar a sorte nas pistas de corrida mundo afora.

Daí em diante... é contar com a sorte e, claro, deixar o seu talento fluir! Se destaque... seja o mais rápido nas pistas... vença os campeonatos de sua liga! Faça amigos e transforme-os em contatos! Não passou a ser um caminho fácil se tornar um piloto profissional, mas passou a ser acessível financeiramente. Eu já fiz o teste e posso assegurar: quem anda no simulador, em pouco tempo de treino consegue pegar um carro em uma pista real e pisar fundo. Basta se acostumar com a Força G e com os muitos solavancos do asfalto e, principalmente, ter a noção de que, qualquer erro pode resultar em grande prejuízo para a equipe, além de colocar a sua vida e a da outros pilotos em risco.